terça-feira, 7 de julho de 2009

Pré e Pró

Fibras prebioticas tem sido estudadas cada vez mais e mais. Dados indicam que as fibras prebioticas tem aplicação em controle de peso, na verdade os últimos trabalhos são bastante contundentes quanto ao consumo de fibras e perda de peso, mesmo fibras isoladas, segundo os estudo tem a ver com GLP-1. Outros dados estão relacionados a fibras prebioticas e imunoestimulação, efeito bifidogenico na flora e também auxilio no controle de colesterol. Há outros estudos em andamento, o mais interessante associa diferentes fibras a produção de resultados de fermentação diferentes, ou seja, ácidos de cadeia curta são originários da ação de bactérias probióticas em fibras prebioticas e o tipo de fibra e o tipo de bactéria direcionarão a produção de diferentes ácidos. O alvo na minha opinião é sempre o ácido butirico, não apenas por seu efeito no pH intestinal, mas também porque estudos tem demonstrado que o ácido butirico per si tem efeito anti-inflamatorio. Estudos publicados associando ácido butirico e sulfasalazina mostram que há um efeito sinérgico e benéfico ao paciente. O mesmo quanto a probióticos, cepas diferentes tem mostrado efeitos diferentes. Um dado foi publicado este ano, o L. acidophillus é a cepa de escolha para efeito na pele e alergia, sendo que outras cepas parecem não ter efeito tão bom assim. Uma dúvida que sempre encontro em eventos é o horário de administração de probioticos. O que mata o probiotico é o ácido clorídrico e os ácidos biliares. Proteger os lacttobacilli destes agressores pode ser interessante. A pergunta é, quando? Eu respondo baseado em medicamentos lábeis ao pH, nós sempre administramos as refeições de preferencia com uma dieta rica em vegetais e pobre em gordura. Ouço que falam por aí que tem que ser em jejum, mas há artigos mostrando que o melhor momento é as refeições. Peguem uma droga como a garra do diabo. O harpagosídeo é destruido no pH do estomago, a administração é em jejum. O bolo alimentar protege o probiotico da agressão direta. Outro dado, quanto menos rica em lipidios e proteinas a dieta quando administrado probiotico, melhor. Menos CCK será liberada e menos ácidos biliares serão secretados. E cepas, variedade de cepas é sempre importante, a não que tenhamos na mira um efeito especifico.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information