segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Dia da Nutricionista

Sei que muitas nutricionistas frequentam este blog, nada mais justo que homenageá-las no seu dia. Eu acredito que a importância da nutricionista em nossa vida vai aumentar cada vez mais e mais. Felizes de vocês que estão abraçando uma profissão de grande futuro. Parabéns a vocês nutricionistas pelo seu dia. Bjs

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Racionais... nem tanto

Eu sempre brinco em minhas aulas sobre o comportamento humano. O que me trouxe para este tema hoje foi um estudo da Universidade de Maryland mostrando que numa espécie de pássaros, a fêmea é atraída pela inteligência do macho. Geralmente em animais o diferencial é o poder, força, domínio. Em animais que vivem em bandos isso é típico, o macho dominador (mais forte) passa seu DNA para a prole. O diferencial de animais que vivem em casais pode ser diferente, pode ser outra a necessidade da reprodução, não especificamente a força e sim a capacidade de sobrevivencia, que nem sempre está associado a força em si. Peguem nós, humanos. Vivemos em sociedade mas convivemos em forma de casais. Qual é o diferencial da vida humana? Inteligência? Beleza? Força?. Bem voltando as minhas aulas, o homem é atraído a primeira instância pela mulher pelo aspecto reprodutivo. Quadris largos, mamas desenvolvidas são analisados para avaliar capacidade reprodutiva, o DNA masculino sobrepõe a racionalidade e leva o homem a ser atraído primeiro pela mulher que tem um quadril apropriado para circundar e proteger o útero onde ele depositará sua descendência. A mama igualmente desenvolvida para alimentar sua descendência, mas esta é a primeira análise e não a análise definitiva. Depois de um período de convivência, até mesmo após o período reprodutivo, este interesse não será mais o mesmo, daí primordial para a convivência será o companheirismo e inteligência. O mesmo acredito que ocorra com as mulheres, são atraídas pelo que podemos chamar de macho alfa, o que se sobressai, forte, musculoso, atraente. Mas também cai no mesmo círculo do homem, após um tempo estas características perdem seu valor, mesmo porque regridem consideravelmente com o tempo e daí fica a necessidade do companheirismo e da inteligência. O pássaro é o exemplo da evolução da reprodução das espécies. No futuro o sexo feminino será atraído pelo sexo masculino por diferenciais alternativos ou evoluídos, acredito que serão a inteligência e a capacidade de sobreviver na sociedade selvagem capitalista... capacidade financeira. Capacidade financeira será definida cada vez mais por inteligência, diferentes tipos de inteligência, todas relacionadas ao sucesso financeiro. O mesmo ocorrerá com o sexo masculino em relação ao feminino, seremos atraídos por mulheres inteligentes e capazes de vencer na sociedade capitalista selvagem. Presumiremos como espécie que juntando elementos diferenciados faríamos uma prole diferenciada pela inteligência. Parece uma análise fria demais para os corações mais românticos, mas não é. Mesmo uma mulher moderna cede aos encantos do romantismo e da atenção, e isso também é uma forma de inteligência. Talvez este texto devesse estar no meu outro blog (escritos aleatórios), porém a inteligência e o comportamento são reflexos de nossa bioquímica. O macho alfa, musculoso, forte, dominante é pura testosterona. A mulher de quadril largo, mamas grandes também é puro estradiol e progesterona no desenvolvimento. O macho alfa é agressivo e isso é testosterona. Mesmo a escolha feminina sobre o macho e a masculina sobre a fêmea terão seus padrões mudados gradativamente. O macho alfa não será um companheiro para convivência, ele foi desenhado para tempos onde prevalecia a força, hoje quem prevalece é a inteligência, que não é caracteristica do macho alfa. Há também o fato de que os machos alfas são agressivos e a agressividade não será a caracteristica dominante na sociedade futura, a caracteristica dominante será a sociabilidade. Voltando ao tema hormônios, hoje fazemos nossas escolhas de forma inconsciente baseado na força dos hormônios sobre nossos neurônios e isso sempre existirá, mas perderá poder para a inteligência novamente. Quem lê este texto hoje eu pergunto... vocês escolheriam um companheiro(a) para conviver ou para reproduzir? ou ambos? A escolha é óbvia, numa sociedade onde ainda o casal é a célula básica inicializadora da família, a convivência será priorizada pela escolha do companheiro levando em consideração a inteligência e a sociabilidade. Quando digo sociabilidade quero dizer capacidade de convivência, tanto em grupo quanto em casal, e aí eu evoco um pouco do que posso chamar de maleabilidade hormonal. Caracteristica da mulher ser mais maleável que o homem, a capacidade de ser mais maleável é mais típica do estrogenio que da testosterona, logo o homem terá que se feminilizar um tanto. Ser um pouco mais feminino mas sem perder a masculinidade. Mas não por efeito hormonal, por efeito da inteligência.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Arginina

A arginina não é um aminoácido essencial. Pelo menos consta que o corpo produz a arginina a partir do cetoglutarato, passando pelo glutamato, glutamina e citrulina e ornitina. Daí chegamos a arginina. Bem, a arginina tem papel importante no organismo, o mais importante é ser fonte de óxido nitrico (minha opinião). Sofre ação da óxido nitrico sintetase (NOS) que pode ser constitutiva ou indutível e produz NO que além de ser o fator de relaxamento do endotélio é um neurotransmissor importante em várias funções. Estudos deste ano tem demonstrado a aplicabilidade da arginina em várias áreas. Há mais ou menos 7 anos, as revistas da American Heart Association começaram a publicar artigos usando arginina EV, VO em vários casos, sendo o mais interessante em angina e... surpresa!! arginina melhorou dor anginosa. Mas o magnésio também, taurina também, l-carnitina também... Bem, mas voltando a arginina. Esta estimula a imunidade celular, provoca liberação de hormonio de crescimento e insulina, estudos usando o octreotide mostraram que a liberação de hormonio de crescimento é via insulina, isso explicaria porque a liberação de hormonio de crescimento é parcialmente cegada pelo uso de arginina mais exercício... Estudos indicam que a arginina é um anabolizante para fibroblastos e miócitos, daí estudos em pele mostram benefício no tratamento tópico de rugas. Mais além, estudos mostram que o efeito de drogas antihipertensivas é melhorada com o aporte de arginina e não só isso, o tempo de efeito mantido é maior. Recentemente saiu um artigo de arginina e sinvastatina, sendo que a arginina adicionada a sinvastatina mostrou efeito antihiperlipemiante, diminuindo triglicerídeos e protegendo o fígado inibindo o aumento nas enzimas hepáticas. Hoje recebi um artigo mostrando que a arginina diminui resistencia periférica a insulina e melhora função endotelial nos pacientes pós cirurgia bypass cardíaco. Tá tudo mudando, estudos sendo publicados, informações chovendo aos montes. Atualizem-se pois só assim farão a diferença.

domingo, 9 de agosto de 2009

Bariátricos

Pacientes bariátricos em sua grande maioria acabam por ter deficiencia de nutrientes. Esta deficiência estende-se desde minerais, oligoelementos, vitaminas do complexo B e agora vitamina A. Conhecidamente, a suplementação de algumas vitaminas devem ter como opção a forma injetável como ataque, como por exemplo a tiamina e a vitamina B12. Fui questionado quanto a suplementação adequada ao bariátrico. Vitaminas a opção seriam doses elevadas, como a tiamina, usamos em torno de 100mg ao dia. Vitamina B12 a via bucal seria uma boa opção. Minerais e oligoelementos são mais dificeis. O grande erro que vejo nas formulas é o uso de minerais e oligoelementos na forma inorganica de baixa solubilidade em pH não ácido. Peguem por exemplo o cálcio, óxido, carbonato, cálcio de ostra e o fosfato não são boas fontes, simplesmente porque no intestino o cálcio deverá estar na forma ionizada para sofrer permeação paracelular. O magnésio é o mesmo caso, estendo este caso para os outros, zinco, ferro, cromo etc. A idéia básica é trabalhar com formas soluveis em pH 4-6 para que eles possam ser absorvidos. Imagino que não se pensa muito nisso, imagino que simplesmente se administra os produtos e pronto, mas o paciente bariátrico é um paciente com uma síndrome disabosortiva sui generis. Deve ser analisado o tipo de cirurgia e o grau de mudança no sistema gastrointestinal.

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Vitamina K

Olá, postei uma aula sobre vitamina K, parecida com a aula que ministrei no congresso de prática ortomolecular. O arquivo é grande, mas tentem baixar e ler.
http://cid-b61a3d135f0b0ef1.skydrive.live.com/browse.aspx/.Public?uc=1

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Radicais Livres

Neste final de semana ministrei curso sobre radicais livres em São Paulo, primeira parte do curso de ortomolecular, 5 módulos. Bem, radicais livres são moléculas ou átomos com um elétron não pareado na última camada, isso resulta em moléculas altamente reativas. Para se ter uma idéia, o radical livre hidroxil, uma hidroxila sem carga negativa, tem a vida de um bilionésimo de segundo. Considerada a molécula mais reativa do universo, este radical livre, gerado ao lado de uma molécula qualquer, reagirá com esta molécula. O superóxido, outro radical livre, é considerado ter a vida de um milionésimo de segundo. Gerados ao lado de um DNA, oxidarão o DNA. Gerados ao lado de uma proteína, oxidarão a proteína. Gerados ao lado de um lipídio insaturado, oxidarão o lipídio. Este é o problema. Gerados aos milhões, milhões de reações que deverão ser reparadas pelo organismo. Antioxidantes são substancias que inibem a oxidação de moléculas biológicas importantes com um conceito muito simples... oxidam primeiro. Tocoferol protege os lipídios da membrana oxidando. A diferença é que o tocoferol tem um sistema de recuperação (ou redução), ou seja, a glutationa e a vitamina C reduzem o tocoferoxil (nome do tocoferol oxidado), transformando-o em tocoferol. Mas a vitamina C se oxida, daí a glutationa e o NADPH reduzem a glutationa oxidada para glutationa reduzida. A glutationa oxidada é reduzida pelo NADPH, que é reduzido no ciclo do ácido tricarboxílico. Fim. A grande diferença é que o antioxidante em geral é oxidado e, após oxidado é reduzido se for uma molécula endógena que tenha um mecanismo fisiológico de redução, ou eliminado ou forma um produto neutro se for uma molécula exógena. Dai não há lesão as biomoléculas. Um sistema de proteção dinâmico. Então radicais livres e antioxidantes devem ser considerados no seu dinamismo de reação. Administrar um antioxidante sem considerar o dinamismo da recuperação é um erro. Há outros antioxidantes, como polifenóis, ácido lipóico, FADH2, etc. Todos devem ser considerados ao usar o sistema antioxidante. Além disso, antioxidantes devem mirar órgãos ou mecanismos de geração de radicais livres. Um mecanismo mirado é a reação de Fenton, que gera radical livre hidroxil a partir do peróxido de hidrogênio resultante da dismutação do superóxido pela enzima superóxido dismutase. O ferro é o catalisador da reação, logo diminuir ferro livre no sítio de geração de peróxido de hidrogênio é um alvo interessante. Outro alvo pode ser a geração do oxigênio singlet, que é gerado pela ação de radiação ionizante, por exemplo a radiação ultravioleta na pele. O betacaroteno é ótimo para esta finalidade. Outro dado, radicais livres são essenciais a vida. Antioxidar não é o caminho, o caminho é controlar o excesso produzido. Quem sabe fazer isso? Tentei ensinar isso no curso de ortomolecular, acho que consegui, mas estudar e ler sempre é a grande saída.

Health.com - Health and Medical Information