domingo, 6 de setembro de 2009

Cálcio e Cálculos Renais

Ontem no curso de ortomolecular que estou fazendo em SP montei com os alunos uma formula de suplemento de cálcio. Os problemas do cálcio tem a ver com a quantidade, excesso de cálcio pode levar a depósito em tecido mole, como artérias. Depende de vitamina K e vitamina D para que haja uma eficácia maior para depósito no osso. Bem, o tema não é esse. Sabemos que formadores de cálculo renal teriam risco aumentado quando usam suplementos de cálcio. Separamos normalmente os com cálculo de oxalato naqueles que tem acidose renal e são individuos que formam oxalato no corpo ou que ingerem oxalato na dieta. Ambos poderão formar cálculos de oxalato de cálcio. Bem, o que se faz hoje é induzir uma alcalinização da urina para inibir a reabsorção tubular renal de oxalato e diminuir a excreção urinária de cálcio, retendo ao máximo para depositar no osso. Sabemos que o citrato induz a citratúria e alcaliniza a urina. Sabemos que o potássio inibe a excreção urinária de cálcio e sabemos que o magnésio melhora resistencia óssea e diminui a produção endógena de oxalato, o que é válido também para a piridoxina. Associação de piridoxina com citratos e magnésio são usados para prevenir recorrencia de cálculos de oxalato. Então seria logico e interessante em formadores de cálculo usarmos cálcio, potássio e magnésio na forma de citrato, associar a fórmula piridoxina, vitamina K e vitamina D. Taí uma fórmula segura para osteoporose em formadores de cálculos de oxalato de cálcio. Dose? forneci no curso de ortomolecular e em respeito aos alunos lá presentes não comentarei aqui, mas qualquer profissional capaz conseguirá montar as doses a partir de busca em literatura.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information