sábado, 31 de janeiro de 2009

Temperos no dia a dia

Bem, este texto é atendendo a necessidade da Débora de BC.
O uso de temperos ou especiarias com finalidade medicamentosa é uma arma no tratamento dos pacientes, para o dia a dia ou para momentos especiais. Há uma certa facilidade em conseguir os produtos e em função disso, o aumento de seu consumo no dia a dia se torna fácil. Há centenas de anos atrás as especiarias comercializadas na Europa eram originárias do oriente e a necessidade de seu consumo levou a uma expansão no mapa do mundo conhecido, grandes descobertas, tudo em função da necessidade de descobrir um novo caminho para importação de especiarias. Naquela época o foco era apenas o sabor. Hoje estudos indicam que especiarias ou temperos são elementos que podem ser usados como armas no dia a dia. Vamos por partes.
Açafrão - não o Crocus, mas a Curcuma. A curcuma é conhecida por conter curcumina, e trabalhos relatados na medicina ocidental e os trabalhos relatados na India, originários da medicina Ayurvedica dão a curcumina várias ações no corpo, a principal como antioxidante, porém a curcuma e a curcumina podem ser usados para tratamento de doenças inflamatorias, como artrite reumatóide e colite ulcerativa, o grande problema é a biodisponibilidade baixa da curcumina, que pode ser melhorada adicionando temperos, a pimenta do reino ou Piper nigrum tem um ativo que é a piperina que inibe o metabolismo hepático da curcumina e daí aumenta a atividade da mesma. Dentre os efeitos esperados da Curcuma podemos citar também o efeito quelante de metal tóxicos.
Piper nigrum - pimenta do reino. Tem um ativo chamado piperina, este ativo atua no fígado inibindo o metabolismo de alguns produtos, como a curcumina, citada anteriormente aumentando sua disponibilidade, mas também melhora a da coenzima Q10 e do betacaroteno. Coenzima Q10 encontramos em músculos, como coração. Betacaroteno na cenoura por exemplo. Coenzima Q10 com piperina da pimenta do reino melhorará seu efeito antioxidante e cardiotonico.
Açafrão (o outro, o espanhol) - Obtido das flores da planta Crocus, existem estudos mostrando o efeito antidepressivo do Açafrão. O produto em si, encapsulado e tomado no dia a dia mostrou efeitos antidepressivos comparáveis as drogas tradicionais. O problema limitante é o preço. Muito caro. Mas parece ser muito eficaz, ativo na forma de erva total.
Páprica - conte capsinoides, produtos que tem uma atividade semelhante a capsaicina (responsável pelo ardor da pimenta), ativo de plantas do gênero capsicum (na verdade a Páprica é o Capsicum annuum). Tem efeito termogênico e em doses relativamente pequenas de capsinoides, tipo 6mg por dia testado em humanos adultos, mostrou induzir perda de peso por termogênese.
Pimenta vermelha (Capsicum) - contém capsaicina, responsável pelo ardor gostoso que dá aos alimentos. A capsaicina é um analgésico potente quando aplicado na pele, inicialmente aumenta a dor e o ardor, mas depois de algumas aplicações diminui a sensibilidade, a capsaicina em sí é usada para tratar neuropatia diabética e neuropatia pós-herpética. Este efeito também levou a pimenta vermelha a ser usada na forma de pó para dispepsia, e pasmem, o resultado foi bom.
Canela - A canela é uma planta originária da região do Ceilão e tem sido usada há anos pela medicina Ayurvédica para diabetes tipo 2. Realmente os estudos mais recentes mostram que o consumo de canela em pó ou do óleo essencial de canela melhora a glicemia neste tipo de paciente. O ativo parece ser o cinamaldeído, mas foram identificados ativos nas folhas, sementes, frutos e cascas que nãos o cinamaldeído.
Alecrim - antioxidante potente, bactericida. Tem sido usado como conservante alimenticio hoje em dia. Estudos indicam que ao respirar o óleo essencial de alecrim o efeito antioxidante do mesmo protege contra o efeito danoso da poluição, mas ainda tem que ser testado em artigos cientificos.
Cravo - o cravo tem um cheirinho adocicado, mas em excesso, meio ardido. A parte volátil do cravo tem um antisséptico potente, o eugenol. Tem sido aplicado com antisséptico em vários casos, no caso de doenças respiratórias seria interessante em função do mesmo ser volátil.
Sálvia - Bem, a sálvia é um tempero incomum, mas os dados mostram que a infusão da sálvia, feita de forma a preservar o óleo essencial, tem efeitos estimulantes da memória.
Gengibre - gengibre tem sido aplicado há muito tempo para dispepsia. Contém gingerol e shagol, produtos responsáveis por sua atividade. O pó do gengibre tem efeito antiemético, usado há muito tempo por grávidas e também por marinheiros com cinetose. Estudos confirmaram este efeito e demonstraram um efeito adicional, o benefício no tratamento de artrite reumatoide. O gengibre tem efeito anti-inflamatório.
Alho - alho é muito conhecido, a alicina, ativo ao qual se atribuem os efeitos do alho tem atividade vasodilatadora e antihipertensiva. Os derivado sulfurados do alho tem alta atividade antioxidante. O alho pode ser consumido em natura ou na forma de extratos. Ao ser expelido pela respiração, algumas moléculas com efeito bactericida mostram benefícios em infecções respiratórias.
Cebola - o consumo de cebola e alho juntos foram associados a prevalencia menor de cancer de prostata. Mas a cebola contém flavonóides como a quercetina, que tem efeito antioxidante e anti-inflamatório.
Cominho - faltou a Nigella. Por sinal nome da anfitriâ num programa de culinária, o cominho tem estudos mostrando benefício em asma.

Se colocarmos outros produtos, como os aromáticos que estão sendo muito usados em doces (tive experiencias com macarons), podemos extrapolar os efeitos. Se contarmos chás feitos com técnica com produtos adequados, aumenta ainda mais.

Se esqueci algum sinto muito. Demencia senil ou isquemica.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information