quarta-feira, 10 de junho de 2009

Ferrado

Há muito se fala sobre os riscos do ferro. O ferro é um oligoelemento essencial, importante em enzimas oxiredutoras por sua caracteristica de transitar valencia, tipo de +2 para +3 e o seu retorno. É importante componente da hemoglobina por este mesmo motivo, e também de enzimas várias. Bem, a deficiencia de ferro é bem caracterizada e é considerado um problema endemico em populações desnutridas. Outra face do ferro é o seu excesso. A primeira pergunta é quanto é o excesso de ferro no corpo, tendemos a acumular ferron tanto que não temos modo de excreção de ferro como temos por exemplo para zinco, cálcio, magnésio. Daí temos uma tendencia fisiológica a acumular ferro no organismo e este acumulo traduzido pela concentração de ferritina sérica pode causar transtornos sérios. Há comprovação que o ferro livre catalisa reações de Fenton e Haber Weiss, levando a formação de radicais livres. No caso da Fenton, o ferro catalisa a formação de radical livre hidroxil a partir de peróxido de hidrogenio, porém para fazer isso o ferro tem que estar na forma livre. O ferro ligado a ferritina tem suas valências fechadas ou ocupadas, daí a ferritia serve como padrão para avaliar o acumulo de ferro, mas eu acredito que o ferro livre é mais importante que o ferro da ferritina, mesmo tendo ferritina baixa, se o ferro livre estiver alto, haverá catálise. Alguns dados são interessantes. Hoje a presença de ferro na placa aterosclerótica é considerado um fator de risco modificável de doença cardíaca. Sabemos também que encontra-se ferro depositado no cérebro de pacientes com doença de Alzheimer, Parkinson e Huntington. Este acúmulo de ferro pode levar a uma maior gravidade da doença. Ferro catalisa reações de formação de radicais livres no corpo, e o seu acumulo é associado a maior prevalencia de doença cardíaca, diabetes e alguns tipos de canceres. Outro dado é associado a sobrecarga hepática de ferro, os sintomas são parecidos com hepatite tipo C. Há indicios que a quelação de ferro é importante como terapia auxiliar ao tratamento de hepatite com interferon, mas ao mesmo tempo é importante para o controle da tensão oxidativa em doenças neurodegenerativas. Manter o ferro sobre controle é o importante, nem em excesso nem falta.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information