quinta-feira, 11 de junho de 2009

Pele, nutricosméticos, cosmecêuticos

Esta semana saiu a revista Cosmetics & Toiletries onde eu participo de um tema sobre nutricosméticos. O termo é obvio, podemos abranger este de duas formas. Cosméticos que nutrem, fornecendo elementos essenciais a função da pele, promovendo mudanças bioquimico/fisiologicas que trazem benefício cosmético a pele. Ou suplementos que ingeridos, também promovem mudanças que trazem beneficio cosmético a pele. A idéia central é que, nutrientes fornecidos de forma adequada tem benefício a pele. Isso é publicado de tempos em tempos pela literatura nas mais variadas revistas. É histórico. O primeiro trabalho que li foi da década de 1970-1980, não me lembro com certeza, na mesma revista Cosmetic & Toiletries em lingua inglesa, uma associação de gelatina + glicina e seu beneficio em rugas. Este foi o primeiro trabalho que eu li, não sei se o primeiro publicado. Continuei acompanhando trabalhos e de tempos em tempos eu me deparava com trabalhos sobre colágeno hidrolisado e beneficio a pele (até hoje não está definitivamente comprovado o modo de ação), óleos essenciais, vitaminas (com relação a proteção solar e ultravioleta), minerais (zinco, selenio e silício). Aminoácidos sulfurados também tem papel importante na formação das proteínas fibrosas, a queratina especificamente. De alguns anos para cá são publicados artigos sobre beneficio de suplementos e até extratos vegetais e pele, a saber: silício na forma de ácido ortossilício tem demonstrado melhorar a produção de matriz extracelular e também de proteínas fibrosas, melhorando cabelo, unha e pele. Colágeno hidrolisado tem demonstrado beneficio na produção de matriz também, hidratação da pele e consequentemente rugas. Acredito que o efeito do colágeno é devido a sua riqueza em aminoácidos quer participam de um ciclo único metabólico, ácido glutamico, arginina e prolina. O que mais me surpreende hoje é o óleo de borage (saiu escrito errado na revista), que devido a presença do ácido gama-linolenico, estimula a produção de ceramidas na pele, ceramidas tem função barreira, diminuindo a perda de água transepidérmica, melhorando hidratação e rugas. Por outro lado, a função barreira inibe translocação de antígeno, diminuindo respostas alérgicas e associa-se ao fato de que o ácido gama-linolenico via formação de ácido dihomogamalinolenico levará a produção de prostaglandina E1, que é imunossupressora. Vamos além, vitamina A, C e ácido lipóico tem sido associado a diminuição da lesão por radiação ultravioleta na pele, junte-se a estes os estudados extratos de Camelia sinensis, Polypodium leucotomos e Pinus pinaster, todos estudados para uma finalidade, diminuição da inflamação e lesão pela radiação ultravioleta em pele normal e pele sensível. Ainda há muito o que evoluir. Por exemplo, acredito que determinados ativos presentes em plantas que tenham efeito inibidor de NF-kB podem ser ingeridos para obtenção de um efeito anti-inflamatório na pele. A niacinamida tem demonstrado inibir a imunossupressão induzida pela radiação solar, vislumbrando no fim do túnel uma luz na prevenção de cancer. Some-se os efeitos de selenio, zinco e outros produtos aplicados topicamente teremos então uma verdadeira nutricosmética.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information