sexta-feira, 1 de maio de 2009

Atletas

Esta semana, após negociações frustradas com um grande investidor na área de esporte, frustradas em função da lentidão e modo de pensar dos organizadores, além de ter tido uma conversa interessante com o Ricardo Takahashi (fisioterapeuta e amigo), pensamos os dois em montar uma equipe de consultoria em esporte. Gostei da idéia. Para o futuro, planejamos a equipe para ser top de linha na área, com médico, nutricionista, fisioterapeuta, farmaceutico e treinadores. Eu comecei a conversar com o pessoal, já tenho o nédico e o fisioterapeutca. Vocês imaginam que o farmaceutico sou eu não é mesmo? Não sou eu, eu tentarei fazer a coordenação do grupo ligando os profissionais. Precisarei de um individuo para marketing, mas eu já tenho. Tenho agora um equipe competentíssima (falta a nutri) para desenvolver trabalho na área, todos dispostos a provar sua competencia primeiro para colher os frutos daqui uns 5 anos, que é o tempo que eu acho que o mundo vai se conscientizar sobre suplementos e suporte ao atleta. Até lá, nossa equipe estará muito bem. Tive uma experiência recentemente no atletismo, posso dizer que, pela opinião dos treinadores até agora foi tudo muito bem, usando suplementos apenas. Eu sou menos radical, eu usaria fitoterapicos e até medicamentos, desde que permitidos pelo IAAF, porque não? há fitoterápicos que aparecem aí como fantásticos. Peguem o resveratrol, estudo da semana passada mostrou o efeito do mesmo no músculo, preservando perda, diminuindo catabolismo, outro que tem este efeito é a curcumina. Serão num futuro próximo anabolizante? Bem, poucos pensam na preservação do músculo inibindo catabolismo, diminuindo a inflamação, que tem este efeito anabolizante por inibir catabolismo. Mas o efeito também será outro legal, vai inibir a imunomodulação. A inflamação a nível crônico aumenta IL-10, que tem efeito imunossupressor, daí este efeito imunomodulador seria inibido, ocorrendo menos infecções nos atletas e este seria outro beneficio. Mas o benefício grande seria nos aeróbios. Havia montado um puta esquema em aeróbios, pelo menos eu considerei que tive um momento de criatividade e ciência em montar um suplemento para aeróbios, montando um processo onde eu levaria o rendimento físico do atleta na competição ao nível máximo, retardando fadiga central, fadiga muscular e aumentando a atividade cerebral, tudo isso só com nutrientes. Vou tentar aplicar isso ainda, mas não será como eu estava trabalhando, terei que analisar. Tenho hoje experiência em tenis, atletismo, luta, futebol e talvez numa próxima oportunidade que se avizinha aí, talvez volei. Invisto meu conhecimento nesta área e divulgo minha forma de pensar em meus cursos, até agora, se o atleta faz da forma correta há resultados. Um dado que eu e o Ricardo constatamos sempre, o esporte profissional é amador no Brasil, com referencia a tudo praticamente, talvez exceto salários. O esporte amador, particularmente o pessoal que eu acompanhei (atletismo) é mais profissional que o profissional em si. Apesar de que não há mais esta separação real, mas o pessoal do Jayme foi o melhor grupo com o qual eu trabalhei até hoje, e pretendo continuar a trabalhar. Outro que me surpreende é o Henrique Cunha do tênis, tem futuro porque tem principalmente disciplina. Hoje a postagem é menos técnica, mas meus caros frequentadores do blog, a área esportiva vai crescer no país, e se me perguntarem quem faz de forma correta e científica suplementos e medicamentos eu digo com certeza absoluta: ninguém. Esta semana sairam artigos legais em exercício, hoje absolutamente a beta-alanina está sendo confirmada e comprovada como retardante de fadiga muscular. Em qualquer tipo de exercício, anaeróbio e aeróbio.

Nenhum comentário:

Health.com - Health and Medical Information